Bem vindos, ao meu primeiro dia de Blog...

Será que essa coisa vai funcionar, bom vamos tentar!
Tento a mais de dois anos, com erros de gramática e de português, escrevo para saciar coisas que tenho dentro de mim.



terça-feira, 29 de outubro de 2013

A cidade andou.

atravesso a cidade com um transito lento numa manhã de sol, 
no meio deste inferno com uma gentileza que não é do lugar
Desço a marechal olhando os carros e ônibus e paro no sinal
Pessoas, de todos os tipos cruzam na minha frente e nada vejo 
pernas sem donos numa pressa sem fim, as roupas iguais e sem cor 
olho de passagem aqueles rostos tão sérios e tão em frente a mim
paro e tudo parece uma imagem de um tempo que eu não conheci.
Então eu a vejo, linda numa camisa branca esvoaçando na calçada
os cabelos soltos, compridos cobrindo as pessoas e as suas caras 
as mãos com as unhas pintadas se movem cortando coisas no ar
esta mulher que anda no meio de tanta gente sem vida, trouxe a cor
e mesmo sendo rápido e por um breve momento a cidade toda andou.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

O vento, suor e ouriço!

O amor é o que nos cerca, é o rosário que com as carpideiras, se reza
amor intenso é como num filme, frenético e a gente finalmente cai
Você sofre uma queda de dez andares e teu corpo se vira no ar,
e tudo vira uma química com a cabeça de formigueiro a mil, que 
você fica ora leve, ora pesado, e sempre com os dedos inchados
Tua gengiva aparente e teus dentes ficam gelados com o ar
e você se transforma e ama fortemente, crendo que assim é,
mas a informação é a do romance, onde não existe a queda
na mente que você sente que é onde o suor é doce e perfumado e 
onde os pés que te esmagam são lindos demais.


domingo, 27 de outubro de 2013

Estou triste e não sei se vou conseguir mudar teus caminhos porque a surdez do dia a dia me fode totalmente os tímpanos, 

A insensatez me fode o dia à dia, e eu me fodo sozinho, pelas escolhas que fiz a vida toda, e agora que sei que não é assim eu sei que a cada cigarro não tem uma fuga. Termina o erro e muda o rumo, numa nova escola, numa estrada fria.

 Ivo, você não errou, a vida é um sarro mas tem de saber ver o que isto significa nas contas o fim.

Eu paro e percebo que estou trôpego e a cada passo eu tropeço no calçamento por onde sempre caminhei, estou triste de tanta felicidade e sigo e arreganhando os dentes a todos por ai um sol cinza insistente reflete sem sentido nas janelas do jardim e eu no estalar das minhas vontades desisto de todas elas enfim. 

A vida não é um sarro sem consequência e triste é quem vive a vida assim. 

Se sexo é droga, estou reabilitado, estou morto e esticado, mal velado e pronto para ser enterrado em um jazigo emprestado por alguem que é amigo de um parente meu. 

Porra, então sou só um e não somos dois, só uma voz que é a minha, minha ultima esperneada antes do tombo de cima do muro antes de saber que não valho nada, da minha casca se romper. 

Estou triste e cansado de não me fazer ouvir, de ver entre olhos cegos e de provar o que vejo sem nada para me ajudar. Sabe amigo, vai ser fácil a vida nos dispensar, a situação dar lugar a ilusão e a realidade perder a chance de não ser o foco. vai ser mais importante a tua idéia de ser fiel naquilo em que acredita ser maior do que aquilo que é bonito, por querer provar que as coisas são agora como sempre deveriam ser, que o passado ditará o ritmo e o futuro não terá chance por ser uma coisa em que você não sonhou.

Pobres corações que deverão ser frios e mundanos, sem chance de voar, vivendo uma vida de regras e de ações torpes dos dias que já terminaram. Sinto não ser algo melhor, que te arrebatasse deste teu torpor e que na velocidade incrível que deveria bater o teu coração te mostrasse como poderia ser bom, mas não em um piscar de olhos.

sábado, 26 de outubro de 2013

Vitória

Naquele dia vitória abriu a velha janela 
depois de vinte mil dias de noites mal dormidas
acordou de um sono descolorido sorrindo 
viu que o céu da cidade Curitiba tem cor
naquele pálido tom cinza vitória acordou pra vida.

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Delicado aroma

O chocolate derrete na boca que me derrete a língua,
Pobre do cacau que foi de semente a fruto em um sol
Incandescente, foi colhido e por alquimia virou vício e ao
Fim do seu tempo não foi devorado e não derreteu em ti
Rico de mim que te beijo e Sorvo o teu o doce como
quem entende tudo do mel, dos teus favos e dos poros e pelos
De quem foi acarinhado e te saboreia como um delicado aroma,

de mulher.

sábado, 5 de outubro de 2013

voo noturno

As cobertas me pesam no quente do corpo imitando o teu aconchego
mal chego a dormir e sonho de uma maneira linda e profunda
a felicidade de meter minhas mãos em teu seios, te puxando ao meu peito. 
Eu voo nesse sonho gostoso e louco te beijando a nuca enfeitada de dourado
te ouvindo entre dentes coisas que só nós sabemos das palavras entrecortadas
por puro prazer. 
Durmo aconchegado neste prazer descarado que tenho com você e me desfaço-me
como de costume, eu acordo e te beijo a boca o gosto da noite, minha linda mulher 
e te faço amor novamente.